4 de fev de 2016

Agência 007 Operação Zoeira

I                                        D                                      K
C             A                P                 1         -            A     G     Ê      N      C     I     A       Z     O     E     I       R        A
Era uma manhã fria na capital da França. Os poucos pássaros se faziam presentes, cantarolando melodias agradáveis, em meio a fraca chuva que caía. As gotas que podiam ser vistas no orvalho e nos vidros, eram nada mais e nada menos do que tranquilizantes naturais da natureza. As nuvens, por outro lado, formavam um céu nublado, carregando tristeza para os jovens adolescentes e crianças que queriam estar fora de casa em pleno sábado.
Em um apartamento simples, nas ruas de um bairro um pouco afastado, a mulher dos cabelos louros e despenteados está relaxando em sua poltrona de um tom avermelhado, em frente a sua lareira, lendo um livro grosso com uma xícara de chocolate quente ao seu lado. Em sua mente de vinte e cinco anos, tudo estava perfeito. Até que, por obra do destino, que já deu a perceber que a odeia, o alarme do seu celular tocou. Sim, ela estava atrasada para o seu trabalho.
Quando se deu conta, colocou o marcador na página que tinha parado sua leitura brevemente interrompida, pegou as chaves de casa e saiu do jeito que estava. Os seus jeans rasgados de uma tonalidade mais escura, seu suéter preto, botas de cano alto igualmente pretas e sobretudo (também preto), não eram exatamente o seu uniforme, mas ainda era melhor do que sair de pijama.


Desesperada, a mulher chegou vinte minutos atrasada, devido ao trânsito. O lugar onde trabalhava era uma Agência Secreta, que ficava no centro de Paris. Você se deve estar se perguntando "Como uma agência secreta fica exposta para todos?". Pois é, você está enganado. A faxada da agência é disfarçada para parecer um escritório de advocacia falido, então ninguém frequenta o lugar faz alguns anos. Os agentes e trabalhadores do local, entram pela porta dos fundos, sempre tentando passar despercebidos.
Todos já estavam na sala de reuniões, até que uma cabeleira loura, seguida de uma cabeleira morena, outra ruiva, e por incrível que pareça, uma azulada, entram no lugar, com cabeça abaixada.
Bom, a loura todos vocês já conhecem. A mulher preguiçosa de um bairro afastado da capital francesa, que prefere apreciar um bom livro com seu chocolate quente do que estar em um desfile de moda. O nome dela é Abgail Janson. Ela é americana, porém tem um sotaque indiano, devido ao fato de que morou na Índia desde seus cinco anos, se mudando apenas com vinte e quatro para Paris, graças ao emprego. Sua pele é branca feito a neve, seus cabelos são tão louros que lhe renderam o apelido de Caixinhos dourados, quando era mais nova, porém ele é apenas ondulado. Seus olhos são azuis como o mar. Estatura mediana, 1.58, a jovem é uma comandante de missões.
O moreno, se chama Luiz Watterfals Gail Jason, tem olhos cor de âmbar e é um brasileiro com parentes alemães, poloneses e estadunidenses. Ele tem um porte físico, no mínimo, invejável. Seus músculos são bem definidos, e seu "tamanho do documento" é bem avantajado. Ele, é o irmão de Abgail, quero dizer, meio irmão, porém suas personalidades são totalmente distintas, e ele nunca saiu do país de origem antes de ser convidado a prestar seus serviços em Paris. Sua altura, 1.90. Reconhecido como o "Pegador" da Agência, ele é um agente secreto que tem como parceiro canadense Clark Suzuki. Seu pai, em uma viagem de negócios, teve um caso com uma brasileira, Doutora Paula Briston,  que acabou por engravidar. Seu pai, nunca o conheceu, porém não lhe negou o sobrenome. Conheceu Abgail ano passado, e graças a diferença de caráter, os dois entram facilmente em "conflitos". Ele tem vinte e sete anos, e é bissexual.
A azulada, se chama Leonora Rosenrot Francis Drake, ou como os amigos lhe chamam: Edgar Allan Poe Rammstein Uncharted. Mentira, eles a chamam de Leo, pois a garota ama Percy Jackson mais do que sua própria vida. Ela tem trinta anos, seus cabelos lisos e tingidos batem na altura da orelha, sua estatura estatura é de 1.72. Ela é magra com o famoso corpo violão, com várias tatuagens nos seus braços, costas e uma que começa no braço e termina entre os seios. Ela tem olhos verdes. Viciada em jogos, principalmente The Last of Us e Life is Strange (motivação para pintar seu cabelo). A mulher é francesa, com uma grande família, cheia de misturas étnicas, e é poliglota. Ela fala francês, russo, português, espanhol, italiano e japonês. E sim, ela vê animes. E normalmente se chama de "Vivi, a Rainha de Alabasta", em reuniões. Conhecida como "A cara de Pau mais Zoeira da Agência". Ela é coletora de informações.
O ruivo de olhos azuis, com porte físico nem tão avantajado, mas que também não deixa nada a desejar, tem 1.87 de altura, e é o parceiro de LWGJ, ou Luiz, como preferir. Ele diz não ter medo de nada, não hesita em matar os seus inimigos quando não consegue o que quer, e por incrível que pareça ele namora. Com um homem. Clark Suzuki é um estadunidense com parentes japoneses, é homossexual e vive em Paris com seu amado faz cinco anos. Sua posição na Agência é Agente de Vigilância, aqueles que ficam do outro lado, protegendo os que estão em campo.
Esses quatro, são o quarteto mais complicado da Agência. Quer dizer, trio, pois o ruivo raramente causa problemas maiores do que brigas. Luiz, Abgail e Leonora são o verdadeiro problema, tanto que várias pessoas os chamam de "Team Red". Pelas personalidades, Leonora é Deadpool, Abgail é Daredevil e Luiz é o Spiderman. Porém, eles ainda preferem ser chamados de "Trio Monstro", onde Luiz é luffy, Leonora é Sanji e Abgail é Zoro (pois só pensa em dormir). Grave esses nomes, pois eles ainda lhe trarão dor de cabeça.
Os olhares das pessoas que já estavam na sala se voltaram para o quarteto atrasado, e o diretor geral da reunião fez um gesto para que se sentassem. Eles entenderam e se sentaram nas cadeiras vagas ao redor da mesa.
-Bom, como vocês sabem, Daniel Pitterson, Luke Quinberly, Ingret Jackson e Susan Cristal fugiram do presídio central nessa sexta-feira, as 2:40 da tarde. Desde então, eu pedi para vocês coletarem informações sobre o caso. Vamos começar com Leonora, -Nesse momento ele ouviu uma tosse forçada vinda da garota-..Vivi, a Rainha do Alabasta, por favor apresente os dados que você conseguiu. -Disse o regente da reunião, Mr. Briton, desistindo de tentar colocar a mulher em seu modo "sério".
-Daniel Pitterson tem vinte e sete anos, aproximadamente 1.78 de altura. Ele morava na Alemanha com seus pais, até seus dezoito anos, porém quando completou dezenove, eles morreram em um acidente de carro, na cidade de Berlim. O garoto entrou em uma depressão profunda, causada pela morte dos pais, e começou a ter acompanhamento psicológico com um profissional da área que se localizava em um bairro próximo da cidade. Ele foi mandado para a casa de seu tio, que o maltratava, e o acompanhamento mental continuava. Em um certo momento, ele foi diagnosticado com problemas além da depressão, ao que me foi dito pelo próprio psicólogo, seus sentimentos mudaram de tristeza para raiva, então, em um ataque de raiva contra seu parente, ele o matou. Não o julgaram, e ele continuou solto, tomando seus medicamentos. Porém foi aos vinte e dois anos que ele entrou no mundo do crime. Mês passado ele foi pego por ter matado dez pessoas envolvidas com o tráfico de drogas e por ter levado o carregamento consigo, tendo como parentes de crime Luke, Ingret e Susan. Recebi a informação de um presidiário e de um guarda, os dois afirmaram que eles fugiram pela tubulação, que para no lixo. A partir disso eles ligaram para uma quinta pessoa, que os buscou. -Disse Leonora, enquanto passava alguns slides.
-Muito bem, por favor deixe o resto do relatório na minha mesa até o final da tarde. A equipe que irá trabalhar no caso é Leonora, Luiz, Clark e Abgail, com ajuda de Barney e Kurt. Todos estão dispensados, mas caso alguma informação adicional apareça, quero um relatório dela. Lembrem-se: Procurem fontes seguras. -Terminou Mr. Briton.
Horário do Almoço, Agência, Mesa 9, Trio problema, Mr.Certinho, Barney e Kurt
-Como diabos nós vamos conseguir pegar esses caras? A última equipe que tentou buscá-los, lembram o que aconteceu? Foram todos mortos! Não quero ir parar em uma cova tão cedo! -Disse Kurt, o alemão neurótico, enquanto comia seu hambúrguer do McDonalds. Kurt tem 1.79 de altura, cabelos louros médios e olhos azuis.
-Ai, cala a boca. Se não fizermos isso, ou ao menos tentarmos, quem nos manda para cova é Bregaton. -Vulgo Mr.Briton- Agora, Come seu hambúrguer aí e deixa o comando comigo okay? Você é um informante. Barney, quero sua ajuda com o caso, vamos precisar rever nossas habilidades para pegá-los. -Falou Abgail, de boca cheia devido ao seu X-Bacon.
-Claro. -Disse Barney, de forma seca. Barney era aquele tipo de pessoa sarcástica, grossa, e amigável. Ele tem aproximadamente 1.80 de altura, e é o subcomandante de missões. Seus cabelos são pretos e os olhos castanhos.
-Gente, vocês perceberam que o Julius ta passando ali, sem camisa? Que tanquinho hein! JU- Leonora foi automaticamente interrompida por um pedaço de bife que foi colocado na sua boca por Luiz.
Pensamento ~Luiz
Adivinha quem abriu a boca para falar merda? Se você pensou na Leo, sua resposta está correta! Tragam o prêmio do "Nós vamos pagar mico se ela falar alguma coisa", em parceria com "Alguém por favor faz esse projeto de capiroto calar a maldita boca" oferecimento de "Deem um tiro na cabeça dela para ver se ela para de falar", experimente também "Não sei se ela fala pela boca ou pelo cú de tanta merda que sai daquele buraco", tudo isso produzido pela marca "Por favor, dirija-se aos aposentos de Satanás, sua filha de uma mulher prestadora de serviços sexuais". Peça o pacote completo por apenas 10 reais por mês, durante 11 meses. Afinal, "Falar merda é uma arte, que ela domina muito bem".
(N/A: Referência: A filha da zoeira, fanfic do Wattpad, modificada. Leiam, muito boa)
-Purq..Vo..c..feiz...issu? -Falou Leonora, enquanto tentava não se engasgar com aquela carne.
Antes que ela pudesse revidar, começou a passar na televisão "Barney e seus amigos", e claro, que ninguém, repito, ninguém, perderia a chance. Pelo menos, ninguém da mesa 9.
-OLHA LÁ BARNEY, O SEU PROGRAMA! - Gritou Poe, e nisso todos do refeitório começaram a rir da cara do colega.
-VAI LÁ DANÇAR BARBICHA! -Foi a vez de Abgail.
-POR QUE VOCÊ NÃO VAI DANÇAR? -Retrucou Barney
-PORQUE EU SOU CLARK KENT, E NÃO BARNEY! -Respondeu Clark
E claro, que, com todos os incentivos externos, Barney foi obrigado a se levantar e dançar a abertura de Barney e seus amigos. Arrastando consigo Kurt, Abgail, Luiz, Clark e Mini-Poe.  Porém, tudo foi interrompido com a chegada de Bregaton, opa, Mr. Briton.
-EU NÃO TREINO VOCÊS ASSIM, ISSO TA PARECENDO UMA FAVELA! -Gritou Briton.
-E O HELIPA É BAILE DE FAVELA - Começou Abgail
-EU SÓ QUERO É SER FELIZ, VIVER TRANQUILAMENTE NA FAVELA QUE EU NASCI! -Completou Leonora
-JÁ ACABOU, LEONORA? -Disse Briton, com sua veia quase saltando da sua testa.
-MEU NOME É JULIA! - Disse Clark
-JARBAS, MEU PAI? - Perguntou Luiz
-EU SOU O FORNINHO QUE VOCÊ NÃO CONSEGUE SEGURAR! -Essa foi a vez de Kurt
-AI MINHA CLAVÍCULA! -Encenou Barney
-99% DA AGÊNCIA JÁ CALOU A BOCA, E VOCÊS - Mr. Bregaton ia terminar de falar, quando foi interrompido pela "Mini-Poe"
-E AQUELE 1%, É VAGABUNDO! -Recomeçou Leo
-JÁ CHEGA, VÃO TRABALHAR NO CASO! - Mr.Briton já estava totalmente alterado
-ESTOU INDO EMBORA, AGORA, A MALA JÁ ESTÁ LÁ FORA, PORQUE HOMEM NÃO CHORA! -Luiz disse
-VÃO PASSANDO! -Berrou Mr. Briton
-LATE QUE EU TO PASSANDO, VAI LATE! -Disse Kurt, passando pelo seu chefe.
-MINHA POUSEEY É O PODER! -Cantou Abgail, indo atrás
-SABE O QUE ELA QUER? PAU, PAU, PAU ELA QUER PAU -Cantaram Barney, Luiz e Clark ao mesmo tempo, seguindo os colegas.
-JÁ CHEGA! - Falou Mr.Briton, enquanto se virava para eles, pensando em mil e uma maneiras de matá-los e não ser preso.
-STOP, WAIT A MINUTE! -Disse Barney, parando de caminhar apenas para olhar para a cara do supervisor.
-VÃO TOMAR UMA ÁGUA - Mr.Briton, que já estava desistindo de vez.
-VODKA OU ÁGUA DE COCO, PRA MIM TANTO FAZ! -Essa foi a vez de Leo, que continuava caminhando.
-MIGA, TOMA UM PARACETALOKO, TÁ? -Disse Abgail.
E assim, todos seguiram para a sala de comando do caso "DLIS", entre risos e gargalhadas. Eles ficaram aproximadamente seis horas trancados no lugar, mas conseguiram pouquíssimas informações novas. Quando perceberam que a Agência já ia fechar, entregaram os relatórios e foram para suas respectivas casas.

Nenhum comentário

Postar um comentário