11 de out de 2015

Prólogo D'A

Era um dia nublado e chuvoso. Eu estava sentada na porta do orfanato Prince American, um lugar sombrio para crianças abandonadas por pais que nunca estiveram felizes com sua presença ou até mesmo existência. Observava os carros, com algumas crianças no banco de trás, e ficava imaginando se eu algum dia poderia estar ali. Mas quem iria me adotar? Uma simples garota de cabelos compridos e pretos, assim como seus olhos, pele bronzeada e um tanto quanto encrenqueira. Fiquei ali durante um tempo, até que senti uma mão sob meu ombro. Como fui pega de surpresa, olhei para trás em um milésimo de tempo e torci a mão sobreposta ali. Até que percebi que quem estava me segurando era a diretora do P'A.
-Desculpe, Srta. Mistgan - Disse para ela, que me encarava séria, uma verdadeira autoridade terrestre, que sinceramente, poderia até ter medo se ela não fosse simpática. Ela tem cabelos ruivos, um olho verde e outro azul. Linda, na mina opinião. Parece ser nova, mas na verdade tem vinte anos. É a sucessora da antiga diretora, então acabou por herdar o estabelecimento. - Eu apenas queria me proteger, se fosse algum malfeitor. - Eu pude ouvir ela suspirar.
-Escute, Kai. Você não precisa ter medo das pessoas, nem todas vão lhe fazer mal, você sabe disto, não é? - Eu concordei com a cabeça, mesmo sem acreditar. - Sabe.. Você tem uma visita. É uma senhora muito simpática, seu nome é Hillary Davidson. Quem sabe seu sonho de andar na traseira de um carro não se realize? - Meus olhos brilharam, eu peguei a mão dela e a levei para o salão central. Procurei por alguma senhora, mas apenas vi uma mulher esbelta de cabelos curtos e louros, olhos pretos como a noite e pele branca. Percebi que Srta. Mistgan estava se aproximando dela - Hillary, esta é Kaine, é a mais velha do orfanato. - A diretora disse para a mulher. E eu fiquei sem reação.
-Muito prazer Kai, meu nome é Hillary, mas pode me chamar de Lary. - A loura disse, me estendendo a mão. Olhei para a dona do orfanato e ela acenou com a cabeça. Cumprimentei a moça, com um tanto de receio. - Quantos anos você tem? - Ela prosseguiu, percebendo meu nervosismo. Hesitei um pouco em responder.
-E..Eu tenho sete anos, sra. Lary. - Falei, gaguejando um pouco devido ao meu nervosismo.
-Você é tão fofinha - Ela disse, apertando minhas bochechas - Srta. Mistgan, acho que temos uma adotada. O que me diz, Kaine, quer ir para casa comigo? - Ela completou e eu a abracei com ternura, sentindo um afago em meus cabelos. Senti uma lágrima solitária escorrer pelo olho esquerdo, eu estava tão feliz. - Vou encarar isso como um sim. Vamos, vou preencher a papelada. - Lary disse, me estendendo a mão, e eu a segurei.
-Quebra de tempo, 5 anos depois.
Já haviam se passado anos desde que eu convivi com Lary pela última vez. Eu tinha agora doze anos, faz um mês que ela havia morrido na minha frente. Eu fui mandada a Alemanha no mês passado, onde fui criada por uma tia adotiva, o que significa, em outras palavras: A irmã de Lary, Srta. Doufoxer. Eu sinceramente gosto dela, mas surgiu uma prima, a Sue, ela simplesmente me odeia, e posso sentir isso. Faz dois dias que ela me expulsou de casa, me acusando de ser uma Sangue Ruim. Estou a caminho da Rússia agora.
-Quebra de tempo, 7 anos depois.
Após ser mandada para a Rússia, ficando por um ano e meio vendendo bergamotas com um pastor, fui para a Grécia, onde fiquei por cinco anos morando em um apartamento alugado, mas fui acusada de matar meu inquilino. O que foi injusto. Mas então, agora estou morando em Roma, tenho dezenove anos e formei uma irmandade, chamada Demons Assassins, ou D'A. Tenho doze integrantes femininas, contando comigo é claro. Todas nós temos entre dezesseis a vinte anos. A mais velha do grupo é a Issa Kato. E agora, nós somos mercenárias. Matamos por dinheiro, por vingança. Cada uma com uma história a ser contada.

Nenhum comentário

Postar um comentário